quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Aos Amigo(a)s

Escrevo para todos os amigos e amigas que passam (ou passaram) nesse canto questionando sobre minha lacuna poética. É isso: a inspiração, essa musa, cansou de minha companhia e deixou-me despida de letras, coberta de ausência.
Não tem sido fácil esse momento árido... nada me agrada mais que dedilhar poesias.
Como não dá simplesmente para “resolver” escrever (é preciso predisposição poética), não sei ao certo quanto tempo ainda ficarei afastada do blogue.
Peço desculpas por ter demorado tanto a vir aqui e agradeço do fundo do coração por lembrarem de meus escritos.

Abraços,

Fernanda Passos

21 comentários:

andre gabriel disse...

que em 2009 seja cheia de saúde, paz e inspiraço para você. beijo

Anônimo disse...

Visitei-lhe até cansar,
Voltei sem nada esperar
Agora sem mais delirar
Volto a esperar.

Ricardo Gondim

edson marques disse...

Mas espero que te volte a inspiração, essa do blog, porque a outra, a da Vida, continua brilhante e pulsante, eu sei!




Abraços, flores, estrelas.

Anônimo disse...

volte não. tá bom assim...

Fernanda Passos disse...

andré, um beijo grande em vc.

Fernanda Passos disse...

ricardo, obrigada por vir em busca de textos.e desculpe por não encontrá-los.
abraço!

Fernanda Passos disse...

a vida se expressa em vc, edson!
sou sua fã, vc sabe.
beijo!

Fernanda Passos disse...

anônimo, esse blogue é público, mas se não gostar, fique longe. reservo-me ao direito de escrever e postar aqui quando bem entender.
abraço p vc também, embora não tenha coragem de se identificar.

Vais disse...

Olá Fernanda,
que tudo, ou quase, mas que em alguns momentos esteja tudo bem,
tô igual o Ricardo, muito bacana o comentário dele.
vim desejar um super feliz 2009, com muitas construções conquistas comemorações e praqueles momentos difíceis mucha força e tranquilidade
tudo de bom prati linda Fernanda
beijo e inté

Auíri Au disse...

Feliz dois mil e LOVE!!!


Beijos

Moacy Cirne disse...

Fernanda, tudo de bom e maravilhoso pra você em 2009. Espero que volte ao seu blogue com a regularidade de sempre. Senti/mos a sua falta. De verdade. Um beijo, viu?!?

Márcio Hachmann disse...

Essas crises que passam os poetas, também passam, ñ com analgésicos ou anti-depressivos, mas com trabalho. Pegue a caneta, o papel e anota aí o que eu tenho para lhe dizer: Se fosse esperar pela tal musa, pela inspiração, teria morrido numa maca do Hospital Regional da Asa Norte , vulgo, HRAN, com os parentes ao meu lado chorando de remosso e me crucificando. Coloquei uma aliança no dedo anelar e afirmei. Quero viver. Tenho um livro para escrever. Um livro, não. Seria uma mixaria, perto de Jorge Amado, o primeiro que me vem a mente, agora vem uma enxurrada, mas não me servem mais. Tenho uma obra para escrever. A herança que deixarei para os netos dos meus contemporâneos, já que os meus próprios não os terei. Alegre, levantei-me daquela maca, me segurando em quem oferecia ajuda e fui tomar meu banho. Porque, regra nº 1: Todo ficcionista antes de começar seu ofício deve estar banhado, barbeado (no caso dos homens) e perfumado e levantar-se-á somente quando a vizinha acompanhada da polícia vier bater a sua porta. Exageros à parte. Vamos à luta, poetisa. À procura de nós mesmo. Municia-se de documentos e vamos a desforra. Como nos disse Autran Dourado: pela nossa literatura brasileira ainda tem muito o que ser feito. Não é como aquela lá, esponhola, ou aquela outra, francesa, ou tantas outras trabalhadas até a exaustão. Prontas. Dadas como mortas. Nossa bola está em campo e cabe a nós marcar o gol da vitória. Pode até ser com o bico do pé, não importa. O que não é permitido é pedir para sair. ISSO NÃO EXISTE!

P.S.: Se encontra-se dodói, consute-se com médico de cabeça, mas não faça como eu. Ouça opinião de três profissionais idôneos e distintos. É caro, mas continua sendo a melhor escolha. Boa sorte e saudade.

farfalla disse...

Olá..
Parabéns pelo seu blog!
Adorei as poesias!!!

Acabo de fazer um blog para também divulgar as minhas...
Se interessar, dê uma passadinha lá: poemasquefizpramim@blogspot.com

Abs.

o amnésico disse...

Inconstantes como a Fortuna, essas Musas; eu sei bem como é...

Só me resta então juntar-me ao coro de admiradores, desejando-lhe o melhor 2009 que estiver ao seu alcance e que você esteja bem nesse exato momento!



Beijo mnemônico.

Naeno disse...

A mim adianta que escrevas. Por vezes tenho me comovido com o que fazes.
Não sei como suportarás sufocar, e de tamanho desproporcional se revelará teu coração, contigo correndo em círculos. Deus te manda a poesia, uma contra-bomba, um anti-míssil, e tu não o lanças no sobre nós, na tela do alto da capela Sextina, rumo as estrelas que já adoram colhê-las, lê-las.

Um beijo
do teu amigo, mais convencido ainda
Naeno

Helio Lambais disse...

Com certeza tudo voltará
e com calma vc poderá
escrever a mais bela poesia
para que possamos nos esbaldar
de tanta alegria!

Abraços

Pripa Pontes disse...

Sei bem o que é isso...passei cinco meses alheia a tudo e todos, simplesmente nada me vinha, nada se desenvolvia além de uma primeira frase...Até que hoe "puff" do nada surgiu e eu decidi voltar...estava sentindo falta dos blogs amigos.

Bem que nesse novo ano a musa volte a inspirar seus versos, a fim de que possamos nos diliciar com os mesmos!

Bjos.

Judô e Poesia disse...

Eu vou estar conectado aqui, esperando que uma fada eletrônoca me diga que voltou.

Hugo Simões disse...

eu também sei o que é isso, passei muito tempo fora da blogsfera. saudades de seus poemas tão belos.
volte logo!

Moacy Cirne disse...

Saudades.
Saldades.

Um beijo.
Dois beijos.

F. Otavio M. Silva disse...

Adorei o Post, Parabens; Vou vir mais vezes por aqui.
Dá um passada no meu blog quando puder.
http://otaviomsilva.blogspot.com/
¬¬°ºoO
Forte Abraço