quarta-feira, 30 de janeiro de 2008

Fugacidade


Rasgo silêncios plantados nos jardins

Ancorados nas falésias de barro

Que ergui além, longe de mim.


Do eco brotado desse ato fugaz

erigi um velhonovo retrato

em pretobrancocarmim.


Multicolor! Simples, assim!

14 comentários:

Moacy Cirne disse...

Você voltou em alto estilo. Que bom! Um beijo, viu?!? E um bom carnaval...

Marcelo F. Carvalho disse...

e vamos juntando as palavras como juntamos os pedacinhos da nossa vida complexa e perfeita!

Abraço forte!

Naeno disse...

Linda poesia. Pordemais completa a a intenção futurista para os que querem carregar as mãos cheias de paroaras com o endereço perdido num dos botecos que ancorou.
Gosto de tua poesia.
Vamos juntar nossas visões e fazermos um livro. É nossa obrigação mostrar o que fazemos de bonito, mesmo que ninguém esteja falando disso, o mundo precisa conhecer-te, a mim e a todos quanto se preocupam com os enigmas da vida.
Que fique para uma escabação geogóca, um dia alguém encontrar.

A idéia poderá ser nossa e eu ná tenho quem patrocine.

Um beijo
Naeno

Naeno disse...

Vens ao poemusicas.

EU INSISTO NA BELEZA DAQUELA CENA

MEU MENINO

COM QUEM PARECE O MENINO
COM ELE PRÓPRIO PARECE
OS OLHOS, DA COR DA MÃE
COM A FLOR QUE O PAI DEU A ELA.

OLHANDO PARA O MEU MENINO
É COMO POSSO ME OLHAR
NOTANDO EM MIM CADA PARTE.
A PARTE DE MIM, QUE EU SEI,
A PARTE DE MIM OCULTA
E MAIS AGORA, ESTA PARTE.

Um beijo
Naeno

Jens disse...

Belo. Simples assim.
Um abraço, um beijo e um ótimo carnaval.

Palavras de um mundo incerto disse...

Guria,

Bah, volto a ler poesias loucas,
escritas por uma poetisa
muito humana.


Beijos pra ti!!!


Marcos Ster

o amnésico disse...

Olá, Fernanda, como tem passado?
Depois de um mar de tempo, volto a percorrer os caminhos de sua poesia e os encontro ainda mais belos que antes.

É bom estar de volta...

O melhor 2008 possível pra você!

Gustavo Chaves disse...

e assim, com simplicidade e beleza, você nos encanta, saudades de graciosos textos!

Naeno disse...

Eu nunca me esqueço do que me arranha a pele, de uma posia bonita, quando a leio inteira. Tampouco me esqueco do poeta que a fez. E termino por me sobrecarregar de preciosadade, pendendo para a esquerda, guardadas poeta e poesia.

Sejemos amigos mais que antes. Eu preciso da tua amizade como o beija flor da flor a flor do beija flor, o menino do peito o peito do menino.

Um beijo
Naeno

Léo disse...

Sublime, simples, perfeito...

Beijo enorme pra ti...

Edson Marques disse...

Tua poesia faz eco, mas nunca fugaz!

Flores e estrelas..

benechaves disse...

Fernanda: saudades do teu cantinho! De teus versos! De tua fugacidade!

Um beijo não fugaz...

Lucas Parente disse...

Sim.

Rasgar silêncios. E pintar a vida com outras cores.

Belo.

Abraços.

rato contra a vassoura disse...

simples como o grito honesto que brota de todo silêncio
como o prisma dissecado no coração do poeta, reagindo a qualquer feixe de luz na escuridão