sábado, 17 de novembro de 2007

Nostalgia



Mastigo minutos

lambendo feridas brotadas no tempo

em que te ausentaste de mim


Degusto a falta do azul de teus olhos

no céu claro que me ofusca


Cega na vastidão das nuvens

tenho miragens


Contemplo formas

: traços fugazes que se delineiam

ao passarem sobre minha ausência


Sou lacuna em mim

ao vislumbrar tua face

no brilho da lua cheia de tudo

vazia de anseios


E para castigar a nós


[eremitas do prazer]


devoro horas acres do agreste que me perfaz

e

busco na cisterna

aquele tudo que faltou


: teu corpo no meu





Imagem: photo.net

13 comentários:

blá blá blá disse...

Que delícia de texto Fernanda! Queria-o pra mim!
kiss, kiss, kerubina

Jens disse...

"Eremitas do prazer"? Clap, clap. Bonito.

R Lima disse...

Indicar você foi tão fácil.. de onde sairia tamanha sabedoria..

Perfeito de ouvir.. Sonoro de falar.. V A L E U !!!!

"Mastigo minutos lambendo feridas brotadas no tempo em que te ausentaste de mim..."


Há prêmios e reconhecimentos no AveSSo. Passa por lá e confere as indicações.


[ http://oavessodavida.blogspot.com/ ]

O AveSSo dA ViDa - um blog onde os relatos são fictícios e, por vezes, bem reais...

Daniel9D disse...

e ai my darling... me emocionei agora :) agora volto com mais assiduidade! beijos

Palavras de um mundo incerto disse...

Guria,
Não sei se o comentário foi até ti, pois aqui fechou(página não disponível), vou comentar novamente.

Saiba que tuas poesias tocam-me profundamente.

Agora vejo o corpo que tanto quero tocar, longe de mim. Agora vejo os olhos que um dia pude olhar, distante. Agora, vejo-me.

Bjos querida e boa semana!!


Marcos Ster

Acantha disse...

Você jamais será lacuna Fernanda!

Maria Regina de Souza disse...

Oi,
Passei para degustar um pouco da tua poesia!
E como sempre adorei o que vi!
Imagens e textos!
Beijos
Maria Regina

alex sens disse...

ahhhh. eu fico todo bobo aqui, suspirando. ainda quero ler um livro teu. terá?
beijo do admirador e, já, fã :)

Vieira Calado disse...

Um belo poema.
Cumprimentos.

Antonio Ximenes disse...

Fernanda.

Buscar é um ato de renovação.

Buscar é não acomodar-se.

Buscar é... viver.

Não vou elogiar teu poema... você vai ficar convencida... rs.

Tá... tá certo... rs

Teu poema é lindo.

Abração.

Ricardo Rayol disse...

esse é o mais doce sabor da saudade

Natália Nunes disse...

A vida é repleta de ausências. E dói.


Beijos, Fê.

o amnésico disse...

Suas imagens, belíssimas; seus sentimentos, intensos; seu ritmo, profundo e variado como o oceano...

Maravilhosa nostalgia!

Beijo.