terça-feira, 13 de novembro de 2007

E agora?




Quando via a via

Que indicava teu acesso

Havia sempre um cruzamento

E me perdia.









Imagem:Giedrus Neturiauskas

17 comentários:

Psiquê disse...

Olá Fernanda,
Aqui é Melissa, de Uberlândia/MG.
Adorei o seu blog, pelo visual e também pelo conteúdo. Parabéns.

Marcelo Cantalice Dias disse...

E AGORA?
DESCE O BARRANCO, POIS NO FINAL DELE SEMPRE HÁ O NOSSO LAR!!!
PARABÉNS, HOJE E SEMPRE!
BEIJOS
TEM POEMA NOVO PARA MATAR A SAUDADE DAS MINHAS LETRAS!!!

sandra camurça disse...

Eita que tu tá ficando craque em poemas curtos, hein, Menina?! Ou melhor, já és craque!!!

Beijos.

Vais disse...

Olá Fernanda,
ótimo!
Fiz uma homenagem às Professoras no Canto, sinta-se dentro desta.
Abraço

Jens disse...

Desencontro... Brincadeira de mau gosto dos deuses.

Pripa Pontes disse...

esses cruzamentos, sempre nos confudindo e nos tirando do lugar em que queremos estar.

Bjos.

Edson Marques disse...

Fernanda,

vim buscar minha dose diária de Poesia!

Adorei as três últimas, que só hoje pude lê-las,.


Abraços, flores, estrelas..

Cel França disse...

Lindo Fernanda!me lembrou um dos mesu sonhos confusos,nos quais estou sempre perdida,sempre maravilhoso te ler! bjos!
=***************

Naeno disse...

Mas nos cruzamentos é que a gente se encontra.

Um beijo na pele do teu coração
Naeno

benechaves disse...

Olá garota!

Se especializando também nos poemetos, hein? Boas amostras você nos oferece. E uma composição de versos que dizem o essencial com poucas palavras.

Um beijo longo(rs)...

Claudia Perotti disse...

Tem histórias que se perdem pelo caminho!

Beijinhosssss

Marcelo F. Carvalho disse...

a via quase sumia entre o trânsito, mas havia os seus poemas.
________________
E eles são sempre divinos, mesmo perdidos.
_________________
Abraço forte!

Flavia disse...

Também me perco, mesmo quando sei o caminho...

Acantha disse...

De vez em quando é bom se perder no acesso...

Ricardo Rayol disse...

até os mais atentos se perdem pelas vias, de fato.

o amnésico disse...

E há quem diga que amar é se perder...


Dose homeopáticas de beleza e sentido; vem se superando a cada visita minha, poetisa!

Beijos.

Vais disse...

Olá Fernanda,
Desculpe se você não gostou da homenagem que fiz lá no canto e inclui você.
Não precisa postar este comentário, se quiser.
Abração