quarta-feira, 17 de outubro de 2007

Colombina (revisitada)


Ai de mim

rima perdida nas lágrimas líricas

que verti nesse

quase morto carnaval

em que um

lindo moço me consumiu

nos goles ébrios,

mastigados lentamente

no sorriso que lhe dei.











Imagem: Tatiana Monteiro

19 comentários:

Lado B disse...

lindo de fechar os olhos (verdes)..

ro disse...

mas essa Colombina tá mais pra Pierrette...mas, concordo, poetas têm o privilégio de andar na contra-mão. Beijo

alex sens disse...

"mastigados lentamente"... esta parte mexeu demais comigo. ui! tudo lindo, linda...

beijo grande!

Moacy Cirne disse...

As rimas perdidas, mais do que perdidas, alimentam a poesia nossa de cada dia. Um poeta dos maiores e dos mais antigos já disse algo parecido a respeito de palavras e/ou sentimentos, não? Beijos.

Priscila Lopes disse...

Nossa! Um final arrematador. Poema com belas figuras de linguagem.

Eu a convida a conhecer o blog Cinco Espinhos, no qual eu e minha colega Aline Gallina nos propomos a fazer "crítica" literária em forma de literatura.

Toda semana garimpamos a internet à procura do texto que valha a pena de um autor "desconhecido".

Mais informações no blog: http://cincoespinhos.blogspot.com

Abraços!

Marcelo F. Carvalho disse...

"lágrimas líricas" foi uma belíssima colocação. Associação do som doce da lira com a melancolia, a dorzinha insistente é perfeito.
____________________-
Abraço forte!

Flávio A disse...

consegui sentir a textura das palavras. muito bom!

Jens disse...

Carnaval, desengano...
***
Fui lá no Controversos. Caliente.

Palavras de um mundo incerto disse...

Pode ser o amor?

O amorrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr............................

DESEJO.....................

ATRAÇÃO..........

A química IIIIIIIIIIIIIIII.....


Bjos e até mais!!

Marcos Ster

Ps:Sim, Sofia anda me despertando em todos os sentidos. ESTOY ADORANDO!

Hugo Simões disse...

Oi grande poetiza! (é assim que escreve?)
deixei um premio pra vc no rotineiro! saudades de seus comentario por lá!
tambem fiz um poema, mas não chega a altura dos seus..
beijão!
;D

Natália Nunes disse...

Carnavais não deviam ter memórias. Ou deviam?

Beijo!

Adão Flehr disse...

A rima se perdeu, mas o lirismo em lágrimas se verteu...

Lindos versos, moça. E acabei de visitar o "ControVersos".

Beijos,

o amnésico disse...

Lindamente melancólico.
Como os amores de Carnaval...

***

Então, além de poetisa você é formada em Filosofia? Duas antigas ambições minhas, rsrs.

Fico feliz que goste desse meu jeito de divagar, muito mesmo.

E eu nome é Ronan Segatto. Muito prazer em conhecê-la e aos seus escritos também!

Beijo.

Ricardo Rayol disse...

Uma triste quarta feira de cinzas deve ter sido

e nunca mais vou no controversos ehehehehe

sandra camurça disse...

Adorei isso, Menina!
Beijos.

auau disse...

" o mar em dia de verão ao sol de fevereiro.
Um carnaval de sonhos ímpares"



beijos


Auíri Au

ACANTHA disse...

O grande problema dos lindos moços é esse, FERNANDA.. Nos consomem. Aos goles. E aos borbotões...

Pena disse...

Doce Amiga:
Não acredito sinceramente que a rima se tenha perdido em algum lugar.
Pertence-lhe por ser linda. Merece que a descubram e encontrem.
É sua.
Tão linda!!!!!!!!
Parabéns pelo que a sua veia de poesia concebe e adorna os seus deslumbrantes poemas sentidos e belos.
Obrigado por ser minha amiga.

Beijos de amizade e encanto.

pena

Thaty Marcondes disse...

se esta Colombina é aquela (Colombina Yde Schlonbach Blumenschein), vale até pela lembrança, pq foi a primeira autora brasileira a escrever poemas sensuais (pelo que foi, até, muito criticada, à época).
Parabéns pela pesquisa! E Colombina é fantástica.