sexta-feira, 21 de setembro de 2007

.




I

Na textura do tempo,

meu

ser no mundo.

Tecido velho,

fiapos da vida.

Recortes

na tessitura

incessante do devir.

Venho

de longe,

das encostas da memória.

Sorvo

tudo que alcanço.

Verto

[retocados]

traços engolidos

e

renasço de tudo que fui,

sou,

hei de ser.

Assim

me encontro,

me perco.

Mas

[sempre]

retorno

ao ponto.


II


O ponto

não é somente um ponto.

O ponto

é uma incógnita.

Pode ser o final,

o começo.

[Quiçá um recomeço!]

O ponto

é o talvez,

possibilidade

de novas portas,

velhos encontros.

O ponto

: um ignoto.

Preciso desvendar

o significante

que ele trás.

O ponto,

que me perfaz.



Imagem: Kadir Barcin

16 comentários:

Jens disse...

Oi Fernanda.
Renascer das cinzas. Este é o ponto.
Um abraço e um beijo.

Juliana Cintra disse...

Estamos sempre renascendo do passado para um novo futuro!!
Gostei muito Fer!
Como sempre suas palavras me envolvem no ímpeto da minha reflexão...

bjux pra ti.

Ju.

David disse...

Muito bom...cadência pensante.
Grato pelo comentário lá no pseudo poemas.
Um abraço.

sandra camurça disse...

Beleza de poema, mulher! Acho que vou roubar algumas idéias daqui, posso?
Beijos.

Natália Nunes disse...

Ah, eu também venho de longe
e ando meio cansada
cambaleante.

Beijão, Fernanda!

Erika disse...

no ponto final.. pela textura da vida.. os trapos se juntam e fazem um quilt de beleza enorme... sua vida.

beijos kirida

Poliedro disse...

Doce Amiga:
Como descreve maravilhosamente um "ponto indefinido de um renascer nas encostas da memória...".
Pura delícia de enternecer e encantar.
Deve ser uma PESSOA EXCEPCIONAL.
Um Bem-Haja pelo que é.
Adorei!
Beijos Enormes de ternura e encanto pelo seu indescritivel Ser de beleza e talento poético
pena

Priscilla Pontes disse...

lindíssimo poema, como sempre!
ótima reflexão com o ponto.

ah, obrigado pelos comentários e n se preocupe eu tbm tenho tido uma semana agitada, to em prova na facul e só entrei hj no pc.




Bjos!

benechaves disse...

Oi, Fernanda: no seu 'descanso', é forte isso:''mato minha fome na carne que te reveste...'. E este é o ponto. Embora 'revestido' de ambiguidades.

Um beijo certo...

Osc@r Luiz disse...

Bom dia querida.
Passando pra deixar um beijo, o desejo de que tenha um bom domingo e uma excelente primavera, que começa hoje!

Thais G. disse...

O que mais me encanta além dos versos, é essa tua capacidade de adequar as fotos aos mesmos!

abraços!

Moacy Cirne disse...

Textura do tempo, textura da poesia: a possibilidades de novsd descobertas.



















Textura do tempo, textura da poesia - novas possibilidades para a descoberta.

ACANTHA disse...

Encontrar, perder, verter. traçar. Ponto.
Parágrafo: muito bom. Como sempre, Fernanda...

Sol Noturno disse...

talvez nem seja o significante, mas o significado deste ponto!

abraços!

ro disse...

Cuidado com a Primavera, não vá explodir em florescências, bjo

Palavras de um mundo incerto disse...

O ponto.

.

Olho e o admiro.
Adoro quando encontro ele, pois sei que será uma coisa nova que entrará em meu mundo.

Ponto.

......


bJO!


Marcos Ster