quinta-feira, 6 de setembro de 2007

Fragmentos de Mim


Foto: Gonçalo Simões



Junto os cacos de mim

arquiteto um semblante

Junto cacos de mim

construo uma persona

Junto os cacos de mim

edifico esperanças

Junto os cacos de mim

dilacero o que era ontem

Junto os cacos de mim

moldo o que quero ser

Junto os cacos de mim

E no anseio de me reconstruir

me descubro como era antes.

Juntos os cacos de mim

Compreendo que esses fragmentos

são partes do que sempre fui.

Do que poderei ser.

Não posso me moldar.

Juntos os cacos de mim.

Eu, assim.

15 comentários:

Ricardo Rayol disse...

E não somos todos cacos que formam um estranho e inusitado mosaico?

Claudinha disse...

Olá, adorei sua poesia. esta tem um significado especial para mim, pois fala de algo que vivo em todos os meus setembros (guardo nos meus apuros no meu outro blog Fractais), fragmentos de mim, que foram colados pelo amor, pela família e que eu prezo muito. Beijos!

Marcelo Cantalice Dias disse...

Lembre-se que cada pedacinho do cacto é um todo seu...
Nós podemos ser feito de vidro às vezes e se esparramarmos ao primeiro impacto, mas deppois temos que saber colar cada pedaço!
Adorei.
Continue impactando e nós vamos juntando os cacos

sandra camurça disse...

Fernanda, gosto muito do recurso da repetição nos poemas, já fiz isso algumas vezes. E neste poema funcionou muito bem. Parabéns!

Beijos
e bom feriadão ;)

benechaves disse...

Oi, Fernanda: junto os cacos de mim para admirar a originalidade de sua poesia, entre gozos e mais gozos do querer e viver. Deixa?

Um beijo escultural...

Edson Marques disse...

Fernanda,

Pelo menos os cacos são péticos e estão juntos!


Deliciosamente juntos...


Abraços, flores, estrelas..

.

Rique Farr Sunsa disse...

Obrigado por visitar o blog.
Você escreve muito bem, ainda mais quando fala do erotismo(Poesia abaixo).
Beijos,
Rique Farr Sunsa.

Moacy Cirne disse...

... e, ao juntar seus cacos através da palavra, você mergulha na Poesia... Beijos.

Viktor Navorsky disse...

Meio sumido, mas ca estou, sempre pra prestigiar os bons blogs !

Cacos de mim, ai de mim que cacos são esses que caem assim.. =)

É.. cacos , o negocio é se colar nvoamente e torcer pra nao quebrar denovo.

Bina Goldrajch disse...

Pois, é... nós já somos os cacos que tentam se manter juntos.

Hugão disse...

Oi! Fazia tempo que eu não passava aqui. Sua poesia é linda, esse negocio de repetir funcionou muito bem!
Um beijão!

Sandra Leite disse...

novamente a trilha sonora...
"Pedaço de mim", com Chico e Zizi Possi.

Lindo!

Moacy Cirne disse...

Fernanda, há uma surpresa pra você no Balaio, tá? Beijos.

Osc@r Luiz disse...

Às vezes antes de reconstruir é preciso desmanchar o que restou.
Talvez seja melhor não juntar os cacos, e sim, começar tudo de novo.
Um beijo!

Palavras de um mundo incerto disse...

bAH, GURIA!

Pedaços eu sou.

Me sinto às vezes a pedra beirada no chão,que muitos pisão e não são capazes de deixar ela no seu habitar.

Adorei, guria!

Bjo!

Marcos Ster