quinta-feira, 13 de setembro de 2007

Súplica


Guia-me por entre as relvas,

pois

em teu corpo germinam



Meu desejo se alimenta

na

seiva que brota do tronco

de

tuas pernas

e

sacio a sede

que

me consome

em

teus pêlos

ou

sugo o néctar

das

tuas reentrâncias



Sufoca meus gemidos

com o

peso de tua carne



Arqueia meu quadril

num

espasmo de luxúria



Imagem: Daniel Operacz

17 comentários:

Moacy Cirne disse...

A eroticidade que se faz tensão, desejo, verbo, substantivo, luxúria. E poesia. Muito bom, viu? Um abraço.

molin' disse...

adorei as poesias
tem exêntricas, interessante
depois dá uma passadalá no meu fotolog
beijo

molin' disse...

textos bem interessantes!
exêntricos aliás
gostei muito!

depois se quiser dê uma passada no meu fotolog.
beijo

Erika disse...

Por Deus!!!!!!!!!! deu até suadouro.

Beijos querida..

Aproveito e deixo um super beijo de feliz aniversário!!!!

sandra camurça disse...

Putz! Fiquei excitadona...rsrs. ADOREI
Sentiste falta dos meus comentários bem-humorados? Sentiu, não foi? Confessa...rsrs.

Beijos, linda.

Marcelo Cantalice Dias disse...

Uma forma poética de demonstrar a sensualidade do Amor...
Perfeita!

Edson Marques disse...

Fernanda,

Li quatro vezes.


Deliciosamente...

Teus poemas me fascinam. Sinceramente. E ontem também li vários textos em prosa. Mágicos!


Abraços, flores, estrelas..

.

ofthewood disse...

Intensas palavras, carregadas de intensas sensações.
Parabéns e um bj.

Priscilla Pontes disse...

Nossa, muito bom..
o prazer que se expressa em versos..


Bjos.

Lunna disse...

E a gente busca na imaginação o que dizer, melhor o silencio em alguns momentos (risos).
Adorei o seu versar...

Rafael disse...

gostei da idéia da estrofe-tronco. ;]

Jens disse...

Eroticamente lindo.

Moacy Cirne disse...

Oi, tem surpresa pra você no balaio. Beijos.

Adão Flehr disse...

Fernanda,
É sempre gratificante vir aqui: o verbo semeia os sentidos que inebriados de prazer e luxúria estacam, num espasmo!

Beijos

Poliedro disse...

Minha Querida Amiga:
Revela um sentir e um estar que são seus.
O amor é natural e faz parte do sentir da Humanidade. Da beleza que sentimos pelo acto que adorna com vivacidade, autenticidade e que jorra de si.
É seu! É de todos que Deus criou.
A sexualidade é importante ao bem-estar e harmonia do Ser Vivo.
A sua descrição trascrita em poema é muito lúcida e com contornos pessoais reais no que expressa.
Abraço amigo e com estima
pena

Marcelo F. Carvalho disse...

PQP, Fernanda! Você atingiu o ponto G da poesia! Fiquei fascinando!
_________________________
Abraço forte!

Osc@r Luiz disse...

MENINA, estou adorando esse seu lado erótico sem perder a classe.
Muito bom!
Não tem desperdiçado um só pingo do seu talento!
Parabéns!
À noite vou ver a Prosa, por que passo por lá de vez em quando, mesmo sem comentar, e sei que são textos longos e ótimos, que requerem tempo e concentração para aproveitá-los melhor.
Beijo, querida!