segunda-feira, 2 de julho de 2007

Canibalismo


Sinto teus dentes triturando minhas entranhas

e vejo meus fragmentos entrando em ti.

Estou em coma.

Coma tudo de mim

e depois, deguste.

3 comentários:

Amaro disse...

O DEGUSTAR do poema é mais que CANIBALISMO, mas o grito de um querer mais profundo e um sentir inigualável.
Parabéns! Sempre é difícil explicitar esse momento e você o fez com muito carinho.
Amaro

Paulo Marcelo Braga disse...

Fernanda,

tu não ficarás em coma,
bem protegida na redoma
poderosa desse poema,
que tem uma devida soma...
Uma somação de bons sentimentos,
além da inspiração de dons, talentos,
tornam teu linguajar saboroso
e reformam o teu ar misterioso...
Aceita meus parabéns
pelo talento que tens!

Paulo Marcelo Braga

Assis de Mello disse...

Fernanda,

Adorei este poema. Conciso, intenso, visceral, sensual e atrevido.
Um beijo, querida !!!
Chico