segunda-feira, 23 de julho de 2007

Vem de Dentro

Foto: Paloma







Sinto uma ânsia

visceral
carnal

de andar por ermos lugares
cavalgar montada nas asas do vento

diáfana
profana

sugiro caminhos tortuosos

Tendo a me

d
e
s
c
o
n
s
t
r
u
i
r

Termino
inicial

visceral
carnal

9 comentários:

Sol Noturno disse...

muito legal, a descontrução da palavra.

ps: como eu faço isso no blogspot? eu nunca consigo!!!

beijos

Juliana Cintra disse...

Muito profundo...gostei do jogo das palavras.
Parabéns, adorei seu estilo.

bjux bjux.

Juliana Cintra.

THiago RangeL disse...

aquela velha escola modernista

;)

bjaum

ta lindo

Edson Marques disse...

Até o Décio Pignatari te aplaudiria!



Que bom que você gostou do poema Mulheres.



Abraços, flores, estrelas..


.

Viktor Navorsky disse...

Vc tb tem um dom com as palavrass.. parabens! =))

MaxReinert disse...

opa... brigadão pela visita!! .. e pelo comentário!!.. e pelo seu Blog!
Muito legal encontrar pessoas que se aventuram por caminhos distintos na escrita!!!

bjzzz

Jens disse...

Oi Fernanda.
Descobri a tua poesia no Resumo da Chuva, o blog do Marcelo. Vim aqui retribuir a tua visita lá em casa e, encantado, conheci outros poemas. Parabéns. A poesia é sempre necessária. Nos vemos por aí.
Um abraço.

Eu-Alguem. disse...

Sempre uma surpresa isso aqui!
Assim como os outros,faço questão de te lembrar...Tu escreve muito foda moça!
hehehe

Desconstruir,pra reconstruir
Desorganizando pra organizar...Bah,ta bom!

=]

Té!
;*

Bion disse...

Eu não sei se foi o sono, mas demorei a captar a palavra desconstruída! Gosto desta sua maneira de escrever, de saber fazer jobo e bom uso das palavras.

Assim estão elas ao nosso dispor: pra gente brincar!