terça-feira, 10 de julho de 2007

Lua


O ntem esperei a lua chegar com sua melodia

M eus olhos ficaram pasmos com a intensa sinfonia

I nebriou meus poros e acendeu minha chama

N uma retumbante canção inebriante
I lhado em meus ouvidos fiquei

S ó contemplando tamanha sagacidade

T endo a lua por companhia

É fácil perder a lucidez

R enascer, morrer, nascer

I sso é que a lua faz

O ntem foi demais!

D emoro ainda a esperar

A lua, lua pra cantar

S into que hoje ainda

A lgo me contamina

L amentos, tristes ais

M inha lua, onde estás?

A guardo a tua voz

S uspiro tua canção

P ergunto aos astros por ti

E nsaio sonetos

R everbero poemas

D eslizo nos acordes

I nclino-me pra te ver

D iante do firmamento

A lua não se mostra

S ilêncio, onde está você?

4 comentários:

Maria disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Maria disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Maria Regina disse...

Belo pema, Fernanda! Nos faz pensar em quantas fases todas nós estamos sujeitas, como a lua! Você nos oferece bonitas e líricas palavras!
Continue sempre a escrever!
Beijos

Perdição disse...

o ministerio das almas perdidas!!!!

linda lua linda!