domingo, 29 de julho de 2007

A Janela


Foto: Paloma


Daquela janela vi o mundo criança chegar

Era vasto, arco-íris, profusão de cores

Mundo pequeno, sapeca-mirim a gracejar

Texturas, molduras, cheio de olores


Daquela janela vi o mundo adolescente

Vestuário monocromático, trazia rebeldia

Cobria-lhe certo ar contestador, displicente

Sonhava com liberdade, irradiava alegria


Daquela janela o vi adulto se apresentar

Sorriso vermelho de maçãs maduras

Cabelo longo solto ao vento balançar

Altivo, intempestivo, sem amarguras


Daquela janela vi o mundo se afastando

A velha casa demolida pelo devir

Não pude ver sua velhice chegando

Cega fiquei, olhos breu, sem sentir


Daqueles olhos de um verde – esperança

Somente saudade, vestígio, lembrança

Dias claros em que viam o mundo a bailar

Quando sorria e me arrastava para dançar.

14 comentários:

Bion disse...

Creio que eu via um mundo diferente da janelas dos olhos da mnha infância...

Hoje minha janela precisa ser limpa de tanto nevoeiro.

Assis de Mello disse...

Uhuuu, Poeta Linda !!
Gostei dos seus quartetos.
O penúltimo achei o mais forte.
Ótimo como exercício, mas não se prenda a esse tipo de rigidez (é só um conselho...)
.
Busque o atrevimento da soltura
O verso branco, a ave mais liberta
Solte a franga, perca a compostura
Você tem jeito,ouse, fique esperta
.
ahahahahaah
Um beijoooooo,
Chico

Natália Nunes disse...

"olhos breu".
adorei essa expressão.

poema bonito, mas me fez tremer um pouco por me levar a atinar sobre a brevidade da vida.

bjo!

Juliana Cintra disse...

Uma vida em uma poesia..
lindo.
bjinhux

Jens disse...

"Da janela lateral do quarto de dormir..." Lindo.

Edson marques disse...

Belíssimo poema.


De uma janela, ver o mundo.


E vice-versa...




Abraços, flores, estrelas..


.

Juliana Cintra disse...

Ahhh q lindaaa...
sabe oq vc disse de contradições....é bem verdade, isso é algo que me pega...talvez uma essência de rebeldia que carrega em mim...não sei...
rssss
bjux mtos.

Marcelo Cantalice Dias disse...

O bom da janela é que delas vemos o mundo da forma que quisermos...
Quando abrimos a janela da vida...esta sim passa, te tal forma que, podemos agraciar a vida!
Minha janela se abriu em uma poesia!!!
Parabéns mais uma vez!!!
Beijos e uma semana com janelas floridas!!!
Estarei postando novidades em breve!

Rafael disse...

pode ser só abstração minha, não sei. mas me pareceu até um pouco apocalíptico. Os olhos verdes que já não se vêem mais, o nosso mundo mudando tão depressa quanto a gente. E o tempo passa, a gente na janela, observando um mundo cada vez menos rijo e acolhedor. Um dia o mundo fica e todos vamos embora.
Não deixa de ser bonito.
Gostei bastante. =D

Bion disse...

Ah... ainda não tem novas?
Bom, então lerei as antigas!

Tenha uma ótima terça feira.

Bina Goldrajch disse...

Lindo, Fernanda!
Bravíssimo!

ya disse...

parece um desabafo
um receio. ou pura paixão.
lindo. você impele tanto de si mesma no que escreve. chega a ser gritante!


ah e brigada por ir la comentar
claro que pode linkar aqui
é uma honra! sorte tenho eu, andarilha sem rumo, apenas uma criança buscando um futuro, uma adolescente que cava mais fundo, uma adulta que ainda está no casulo enterrado.

e eu. que peço permissao para sempre comentar! =P
;*

Auíri Au disse...

lindo....
Os olhos de uma criança.....

perfeita a visão de um mundo....



Beijos


Paz e amor


Auíri au

wilson guanais disse...

indiquei poema seu no blog dos amigos ( ver link ).
breve levo outros.
abraço.