quarta-feira, 22 de agosto de 2007

alterliberta


Levo meu canto aonde vou.

Insinuo que a vida é um som,

bebo notas dissonantes,

ensaio melodias anacrônicas.

Recorro aos acordes de minha época,

disposta a fazer ecoar nos vales da vida

algo que esteja em sintonia com meu dia.

Descrevo caminhos perdidos no tempo,

componho trilhas ao léu.

Inicio a trajetória incerta

que me afirma como ser liberta.

Corro em busca de algo que nem sei...

Ordeno a minha sorte que serei nunca escrava,

sempre dona de meus passos.

Desenho as linhas de meu horizonte.

Vislumbro incríveis paisagens.

Atenta, me descubro como ser por vir,

como devir.

Ilusão pensar na liberdade incondicional,

onde o individualismo supera o social.

Não dá pra ser assim,

liberdade pressupõe alteridade,

o outro fora e dentro de mim.

Liberdade é conquistada.

11 comentários:

Adão Flehr disse...

Fernanda,

Vi o seu comentário no Mude, do Edson Marques, e resolvi te visitar...

E o seu canto me levou tão longe... e a sua liberdade estilística me conquistou.

Abraço,

Francisco Sobreira disse...

Fernanda,
Chego aqui trazido pelo amigo Moacy, em cujo Balaio vi o seu poema publicado hoje. Ele me agradou, tendo gostado, principalmente da repetição da palavra "coma", mas em dois sentidos. E passando a vista no seu blogue, vejo que ele tem muito mais a nos oferecer. Um abraço.

Saramar disse...

Gostei da temática e do ritmo deste seu poema.
A liberdade em cada verso, como os sons livres da vida.
Maravilha de ler!

beijos

André L. Soares disse...

FERNANDA PASSOS

Boa tarde!

Por favor, leia com atenção!

É com base no modelo ‘Blog Day – Cinco Estrelas’, evento de sucesso idealizado pela Elza, do blog ‘NADA POR MIM’, que nós, ANDRÉ L. SOARES (do blog GRITOS VERTICAIS ) e RITA COSTA (do blog ALMA DE POESIA ), na condição de ORGANIZADORES (não participantes), lançamos agora o “PRÊMIO CANETA DE OURO – POESIAS ‘IN BLOG’ 2007”, com o objetivo maior de eleger, conforme o voto dos próprios ‘bloggers’, o ‘MELHOR POETA’ e o ‘MELHOR POEMA’ de 2007, postado em idioma PORTUGUÊS.

Acreditando que o intercâmbio de conhecimentos decorrente da leitura diversificada é benéfico ao desenvolvimento da poesia como um todo, o PRÊMIO CANETA DE OURO – POESIAS ‘IN BLOG’ 2007 objetiva, também, estimular a leitura, bem como a maior integração entre os ‘bloggers’ que escrevem poemas em idioma PORTUGUÊS.

A participação é opcional e gratuita, não implicando em quaisquer tipos de ônus aos participantes.

Assim, dando início ao “PRÊMIO CANETA DE OURO – POESIAS ‘IN BLOG’ 2007”, nós, André L. Soares e Rita Costa, Organizadores deste evento, indicamos o seu poema intitulado ‘O QUE SOU – E O QUE NÃO SOU’ [ http://pnaveia.blogspot.com/2007/08/o-que-souou-no-sou.html ], postado em seu blog em 18.agosto.2007, para ‘Concorrente Inaugural’, juntamente com mais outros 29 poemas. Por favor, leia com atenção as regras do concurso em: AQUI.

Caso aceite, confirme sua participação pelo email: canetadeouropoesia2007@gmail.com, para que possamos lhe enviar o conjunto de ‘arquivos do participante’ (‘regras’, ‘banner’ e ‘caixa de texto’).

Participe e nos ajude a construir um dos maiores eventos literários da Internet.
Gratos por sua atenção!


ANDRÉ L. SOARES e RITA COSTA.
Organizadores.
.
.
.

André L. Soares disse...

Muito obrigado.

O blogspot hoje parece estar com problemas e, ao que percebi, praticamente destruiu minha mensagem.

Fico feliz com seu interesse. O link para a leitura das regras é:

http://poemasdeandreluis.blogspot.com/2007/08/prmio-caneta-de-ouro.html#links

Estamos a postos para toda e qualquer dúvida.

Grande abraço!

benechaves disse...

Oi, querida: muito bom este seu delineamento cotidiano. Como este exemplo singular:'corro em busca de algo que não sei...'. Ou,então, este:'...sempre dona de meus passos', a palavra 'passos' refletiva no seu sobrenome 'Passos'.

Beijos presentes...

Palavras de um mundo incerto disse...

Oi, guria!

Bah, está poesia me fez lembrar dum amigo meu, que agora está em Sampa. E me fez pensar melhor a respeito desta liberdade prisionária em que vivemos.

Feitiçaria para o povo. Um feitiço para o meu ser. Pobre feitiçaria louca. O causador de toda esta feitiçaria: A injustiça.

O boi está leve e solto, mas com o bolso redondo.

Bjos e abraços!

Marcos Ster

Carito disse...

...vim ver como fernanda as coisas por aqui e adorei... respirartenaveiaemel!!! Obrigado pela visita!

Priscilla Pontes disse...

N se preocupe tbm tenho tido uma semana muito corrida, mas assim que vc puder postar me avisa p eu vir dar umka lidinha...^^

Bjos.

Marcelo F. Carvalho disse...

Eu vi, eu vi, eu vi! Cê tá lá no Balaio Porreta! Fantástico!
_____________
Abraço forte!

Bion disse...

Sorria!

Muito engraçado de fato
o mundo que me rodeia.
A feliz mulher bonita,
a infeliz mulher feia.
A pobre mulher sofrida,
a rica mulher alheia.

Eu choro de tanto riso
com o que vejo a cada instante.
O homem do olhar sem brilho,
o homem do anel brilhante.
Embaixo o corpo do fraco,
em cima o pé do gigante.

A festa. o abraço.
O tédio. O cansaço.
o escuro. A fobia.
A espera. A agonia.

Morte e vida,
lado a lado.
O mundo é muito
engraçado,
disfarçado.
Desgraçado.

------------------------