terça-feira, 14 de agosto de 2007

Devaneio




Sou uma ninfa que vaga por teus bosques

Ouço o farfalhar das folhas caídas

(...)

Penso que estás a chegar pra afagar meu eco

que grita teu nome e te procura por aí

Mergulho no lago quente da tua boca

Quase morro afogada em tua saliva

A brisa me arranca de lá

Saio voando em direção ao nada

(...)

Não posso me perder!

Agarro-me em teus cabelos

me enlaço nas teias

que constituem teu ser

10 comentários:

Erika disse...

será que se dá conta de que ela está lá?

beijos

Juliana Cintra disse...

Olá..
Adorei o q escreveu, e a fotinho é a mais lindaaaa!!!

bjnhux.

Viktor Navorsky disse...

Linda a pintura, de quem é? É incrivel como o texto se adequa ao que vejo naquele quadro.. :)

bju

Juliana Cintra disse...

ah mudou fotinhoo??
rsss..
bjux Fer.

Glênio Gangorra disse...

Ficamos, como militantes engajados, extremamente felizes com o seu comentário. Vislumbramos uma luz no fim do túnel imperialista e é o trem da vitória bolivariana sobre os liberticidas reacionários, dos quais, tão bela musa socialista jamais poderia fazer parte.

Edson Marques disse...

Fernanda,



Eu também "me enlaço nas teias poéticas do teu ser".


Abraços, flores, estrelas...


.

diovvani mendonça disse...

Boa e necessária poesia, injetada nas artérias da realidade!!! ^^^Abraço^^^ das montanhas.

Cin disse...

Olá Fernanda
Que lugar lindo aqui...tem aroma de poesia... e das boas.
Bjinhos e obrigada pela vista.

Natália Nunes disse...

Dríades me lembram pinturas clássicas...

Bjo!

Rafael disse...

simplesmente a-mei!