terça-feira, 7 de agosto de 2007

Poeta de Ilusões





Entrego-te a caixa encantada

dessa poeta de ilusões,

para que construas

uma morada utópica

e guarde nossos anseios.

Aproveita!

Suga o ígneo interior que me perfaz.

Constitui-te larva

de onde possa extrair pedras

e amaciar essa tez

que acaricia tuas noites insones.

Assim,

no lugar algum em que moro contigo,

dissolvo tua idiossincrasia,

trituro teu narcisismo,

engulo tua indiferença,

recupero a alma cadente

que roubaste.

E porque estás em mim,

o fogo que me consome

te fez gasoso.

Respiro-te inteiro.

Depois te solto,

meu devaneio.

16 comentários:

Erika disse...

Olá Fernanda,

Obrigada pela visita ao Oncotô e pelos comentários deixados.

Às palavras das suas poesias, faltam-me as minhas.

Beijo

Bion disse...

Final inspirado, não ?

Preciso ler o que eu perdi, preciso da sua graciosidade.

=)

Boa quarta-feira!
beijos
Arthur

Bina Goldrajch disse...

Todas as noites eu sonho com essa minha morada utópica.

Creio que cada um tem a sua.

Beijos!

Moacy Cirne disse...

A relação imagem/palavra pareceu-me singular, de forma bastante positiva, embora o significado da foto em si possa ser mais ambíguo do que a clareza do poema. Enfim, uma relação que não se esgota na primeira leitura. Beijos.

Flávio A disse...

uau! admiro quem consegue fazer bons poemas, acho tão difícil :~

empty disse...

perfeito.

adorei: "vamos cantar um samba"

sambo, logo existo!

=)
bjos.

Fernanda Passos disse...

Moacy, concordo contigo. É tão difícil encontrar fotos.....às vezes não é possível mesmo relacionar diretamente a imagem com o texto por conta desse motivo. Mas vou procurar outra agora mesmo. Tomara que tenha mais sorte. Bj.

Moacy Cirne disse...

Puxa, Fernanda, a nova foto ficou ótima... Um beijo.

auau disse...

será que eu adorooooooooooooooo
o que você escreve???rsrs

principamente o final....

"quando eu me perco é quando eu te encontro" detonautas


beijos



paz

Priscilla Pontes disse...

muito bom!
uma caixa de Pandora, mas que liberta pensamentos e sentimentos instigadores e emocionantes, ao invés de problemas e atrocidades.

Como sempre um belo poema!

Obrigado por passar sempre lá no blog, e não se preocupe estarei sempre atualizando mas não com frequência diária, mas n o abandonarei porque essa troca de pensamentos sentimentos e emoções com outras pessoas, outros blogs, outros mundos é muito positiva pra mim!

E seu blog mais uma de vez de parabéns...ótimos versos!

Marcelo F. Carvalho disse...

Fernanda, cê saca de pós-modernismo aliado à filosofia? Clarice Lispector? Sou péssimo em filosofia, mas tem alguém com problemas com isso, Pós e filosofia... Tem alguma dica de autor?
______________________--
Abraço forte!

ro disse...

Belo, Pandora, muito belo!!! Bjo

Van disse...

Ótimo blog, Fernanda!
Parabéns!
Lindo poema também.
Beijuca

Márcio disse...

Deixa que eu abro!

Natália Nunes disse...

Tenho me sentida atraída por coisas ígneas ultimamente.

O mito de pandora me fascina.

ya disse...

lindo..
como diria eu para um amigo
um toque aveludado
um sussurro imaginado
um terra do nunca somente sua.
e para seus convidados